Software leitura de Tela:
Contraste:
Redes Sociais:
Você está: Edições / Edição nº 113

ESPORTE

São Paulo vence Paralimpíadas Escolares com 136 medalhas

Mais de 900 competidores de 24 estados brasileiros e do Distrito Federal (apenas Roraima e Piauí não estiveram representados) participaram da edição de 2016 das Paralimpíadas Escolares, disputadas no Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro, entre 22 e 25 de novembro último. A competição é organizada desde 2009 pelo Comitê Paralímpico Brasileiro e contou com apoio do Governo de São Paulo, mais uma vez a sede da competição. Estiveram envolvidas as Secretarias de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência; da Educação; do Esportes, Lazer e Juventude e do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. O evento é considerado o maior do mundo para esta faixa etária, de 12 a 17 anos. Participaram alunos com deficiência física, visual ou intelectual, matriculados em escolas do ensino fundamental e médio de escolas públicas e particulares. Este ano, os estudantes disputaram em 8 modalidades: atletismo, bocha, futebol de 7, goalball, judô, natação, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas. A delegação paulista venceu a disputa com 136 medalhas, sendo 74 de ouro, 48 de prata e 14 de bronze. O segundo lugar ficou com o estado de Santa Catarina e o terceiro com o Rio de Janeiro. É o quarto título de São Paulo, que também saiu vencedor em 2009, 2011 e 2015. As Paralimpíadas Escolares funcionaram como uma verdadeira “peneira” de talentos para formar a delegação brasileira que disputará o Parapan de Jovens, em março, também na capital paulista. A competição já revelou grandes nomes do esporte paralímpico do Brasil, como: Lorena Spoladore, saltadora campeã mundial em Lyon-2013; Leomon Moreno, do goalball, medalhista de prata em Londres-2012 e campeão mundial na Finlândia-2014; e o velocista recordista mundial dos 200m T4, Petrúcio Ferreira. Para o presidente do CPB - Comitê Paralímpico Brasileiro, Andrew Parsons, os dias de competição deixaram todos orgulhosos tanto pelo desempenho de alguns atletas, quanto pelo espírito esportivo dos envolvidos. "Apenas uma delegação sai vitoriosa daqui, mas todos os inscritos voltam para suas casas como vencedores. Sem dúvidas temos uma geração muito boa que competiu neste ano. O esporte é fundamental na vivência de vocês e tenho certeza que vão manter nas suas vidas", observou Parsons. Já a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, afirmou que as Paralimpíadas Escolares de São Paulo vão deixar um legado importante e difundir o conhecimento necessário para a prática paradesportiva no ambiente escolar. As Paralimpíadas Escolares ainda premiaram com o Troféu Confraternização a delegação que mais demonstrou espírito esportivo e animação durante os três dias de competição. Pela votação de membros de delegações, os representantes de Santa Catarina levaram o prêmio de "boa-praça"


Para compartilhar essa página basta clicar no ícone da sua rede social.


Ligue grátis: 0800 - 772 - 6612
(11) 3873-1525 / Fax: (11) 3801-2195
contato@revistareacao.com.br
Todos os Direitos Reservados a Revista Reação - 2012
by Studio Toro