INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA,
MOBILIDADE REDUZIDA, FAMILIARES E PROFISSIONAIS DO SETOR


 É rápido e fácil: Encontre as matérias já publicadas pela Revista Reação no ambiente digital

Clique em "Pesquisar" e filtre por editoria, palavra chave ou navegue abaixo e encontre reportagens, artigos de parceiros e notas das redes sociais.

Mobility & Show 2017

Mais uma vez o evento cresceu e repetiu o sucesso de público e negócios, firmando-se como a grande referência no setor ! Em sua terceira edição na capital paulista, realizada entre 15 e 17 de setembro no Campo de Marte, a “feira mãe das Mobility” - como é conhecida - mostrou um expressivo crescimento no número de expositores e visitantes.

Se na primeira versão, no Autódromo de Interlagos, em 2015, foram 15 expositores, sendo destes, 5 montadoras de automóveis, e na ocasião cerca de 3 mil visitantes e apenas pouco mais de 900 test-drives, já para 2016 na primeira vez no Campo de Marte os números mais que dobraram. No ano passado, foram quase 6 mil visitantes, 15 marcas de automóveis e 1943 test-drives, numa feira que contou com 36 expositores.

Agora, em 2017, os números mostraram uma evolução ainda maior. Foram 44 expositores com 16 marcas de automóveis presentes, numa mostra que recebeu exatas 7.828 pessoas que visitaram e fizeram negócios no evento. O número de test-drives foi recorde absoluto: 2.484 neste ano em apenas 3 dias !!!

A montagem e o formato da feira também mudaram. No lugar de tendas individuais ao ar livre  para os expositores, como foi em 2016 no mesmo local, a organização inovou e agradou. Este ano foi montada uma estrutura com apenas 2 grandes tendas de vão livre acopladas a um hangar já existente, formando assim um grande pavilhão, todo ele climatizado por conta do calor. Isso trouxe mais conforto para quem expunha seus produtos e serviços e para os visitantes. Até a praça de alimentação e a fila do credenciamento para o test-drive foram climatizadas. O formato dos estandes padronizados também mudou em relação ao ano passado, seguindo os mesmos moldes da Mobility Rio e que também será aplicado na Mobility Nordeste em novembro próximo. Isso traz praticidade, simplicidade, beleza e objetividade ao evento, que tem por propósito proporcionar negócios para quem visita e quem expõe. “Essa é a grande fórmula do sucesso da Mobility & Show e o diferencial que o evento tem em relação aos outros do segmento. Quem expõe gasta menos e vende mais. Quem visita tem a possibilidade e a certeza de que vai realizar bons negócios durante a mostra. Todos na Mobility tem a mesma oportunidade e sem distinção, tanto grandes como pequenos. Isso nos proporciona a possibilidade de viajar o País com a exposição, gerando negócios, difundindo informações, levando acessibilidade, inclusão e conhecimento para todos os cantos do Brasil”, afirma Rodrigo Rosso, promotor do evento.

 

Novidades todos os anos

Não cair na mesmice ! Esse é o lema que deveria ser a mola propulsora de todo evento, e é o que move a Mobility segundo seus organizadores. Este ano a mostra apresentou surpresas também na abertura. Depois da entrevista coletiva conduzida pelo organizador do evento, Rodrigo Rosso, o ilusionista Átila, da dupla Átila e Rosi, recordista mundial em dirigir veículos com olhos vendados, levou um grupo de fotógrafos, repórteres e cinegrafistas para a pista de test-drive e demonstrou suas habilidades. Com 8 camadas de vendas nos olhos, Átila dirigiu com os olhos vendados uma Trailblazer automática cedida pela Chevrolet com o carro cheio de gente. Todos voltaram embasbacados com o que viram e sentiram, assim como quem estava do lado de fora do carro só assistindo a apresentação. Foi sensacional ! O ilusionista e também escritor, aproveitou, juntamente com sua parceira Rosi, para lançar o livro “Transformando Não em Sim – a Superação dos Resultados”.

A abertura oficial reuniu autoridades, paratletas e grandes nomes do setor. Até o prefeito de São Paulo, João Dória, fez questão de marcar presença e puxar a fita de inauguração do evento. Também estavam presentes o secretário adjunto da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Luiz Carlos Lopes, o secretário municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Cid Torquato, o presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), João Octaviano Machado Neto e seu Supervisor do Departamento de Mobilidade e Acessibilidade, Edison Passafaro. Representando o Governo Federal, compareceu Carolina Gomes, do Departamento de Políticas Temáticas da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Também esteve presente o brigadeiro do ar, comandante do PAMA/SP, representando a Força Aérea Brasileira

A madrinha do evento este ano foi a ex-atleta olímpica Laís de Souza e o padrinho, como já é tradição, o ex-radialista e locutor esportivo Osmar Santos, que teve também um estande para mostrar suas belas pinturas. Ele se dedica à arte depois que um acidente automobilístico, em 1994, comprometeu sua fala e movimentos. Laís, que ficou tetraplégica quando sofreu um grave acidente com esquis em 2014, enquanto treinava para as Olimpíadas de Inverno, falou aos presentes que a feira era um momento de reflexão para as pessoas com deficiência e suas famílias. E como os veículos eram uma das grandes atrações do evento, afirmou que o carro, para ela, “era a extensão de seu quarto”.

Compareceram ainda os medalhistas paralímpicos Verônica Hipólito e Caio Ribeiro, trazidos pela expositora Nissan. O hino brasileiro foi cantado à capela pela cantora e atriz cega Sara Bentes, que também fez a tradução simultânea em Libras. Sua apresentação foi tão bem recebida, que João  Doria anunciou o desejo de convidá-la para cantar em futuros eventos da Prefeitura. Também marcou presença na abertura o ex-jogador do Corinthians e Seleção Brasileira de futebol, hoje surdo, Júlio Cesar de Souza. A mostra desse ano também contou com uma feirinha de adoção de cães e gatos com deficiência, além de uma pista de socialização no trânsito para crianças, com mini-carrinhos de verdade, onde autoescolas e a CET animaram os pequeninos.

 

Um mercado que merece atenção e respeito

O Brasil tem, segundo o levantamento realizado pelo censo do IBGE de 2010, 46 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência. De acordo com os dados apesentados por Rosso, que também é editor da Revista Reação e presidente da ABRIDEF – associação patronal do setor – na abertura oficial do evento, 42 % das pessoas com deficiência no Brasil pertencem à classe A/B, 44 % à classe C e o restante somente à classe D/E. Isso significa um mercado consumidor fortíssimo, que movimenta anualmente mais de R$ 5,5 bilhões, sem contar com as vendas da indústria automobilística que, ao contrário do setor como um todo, só têm crescido, ancorada por isenções de impostos. “Em 2016 foram vendidos mais de 139 mil carros 0Km com isenção de impostos para pessoas com deficiência. Um crescimento de 31,5 % em relação ao ano anterior”, afirmou o organizador.

O secretário Cid Torquato, durante a coletiva, também destacou a questão da capacidade produtiva das pessoas com deficiência e de consumo, como partícipes da sociedade. “A Mobility traz esse viés, o lado produtivo, o lado de consumidor de pessoas que viram protagonistas de suas vidas”, afirmou. Ele prometeu que essa gestão será marcada por grandes transformações na área de mobilidade, acessibilidade e direitos das pessoas com deficiência. Luiz Carlos Lopes, representando o governador Geraldo Alckmin, afirmou que a tecnologia permite “vôos mais altos” às pessoas com deficiência e lembrou dos debates e discussões que seriam realizados durante a feira “É preciso acabar com a imagem de que pessoas com deficiência só têm carências”, explicou, lembrando que uma parcela pode consumir, mas que é preciso se preocupar também com quem não pode. Para ele, é preciso “acelerar a inclusão”. Quem também visitou a mostra este ano foi o ex-goleiro Jackson Follman, da Chapecoense, sobrevivente do acidente que o fez amputar uma das pernas.

 

A Lei colocada em prática !

Desde 1 de setembro de 2017, por determinação da LBI - Lei Brasileira de Inclusão, estão sendo aplicadas multas em quem estacionas em vagas demarcadas em locais públicos ou privados, como shoppings e supermercados. Torquato e Passafaro apresentaram e deixaram para serem distribuídas as “multas morais”, em papel amarelo, semelhante a uma multa oficial, que podem ser colocadas pelos cidadãos comuns interessados, nos carros que não têm direito e estão parados irregularmente nas vagas. Seria uma “cobrança da sociedade”, já que a CET não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Em relação às multas já aplicadas pela CET, João Octaviano Machado Neto anunciou durante a entrevista coletiva que, nos primeiros 15 dias de vigência da aplicação das multas, foram feitas 300 autuações na capital. “A lei é para todos”, disse, “a CET vai enfrentar o desafio de implantar essa cultura para daqui a algum tempo não ser preciso mais multar”. Durante os dias da feira, inclusive, foi disponibilizado em estande para quem precisava tirar o Cartão Nacional  obrigatório para parar nas vagas demarcadas de estacionamento.

O prefeito se mostrou impressionado com os números apresentados e reforçou que as políticas para pessoas com deficiência não devem ser tratadas apenas como questão humanitária mas deve ser levado em conta seus direitos como consumidores. Ele lembrou que o seu pai, João Agripino da Costa Doria, usou cadeira de rodas nos últimos 10 anos de sua vida, devido a um atropelamento seguido de uma cirurgia. “Reafirmo meu compromisso absoluto em relação à pessoa com deficiência”, disse Dória. Depois da inauguração simbólica, com a abertura da fita vermelha pelo prefeito, os visitantes foram conhecer os produtos e serviços oferecidos pelos expositores.

 

Satisfação para quem expõe e para quem visita !

“Nós realizamos um evento para o expositor e para o visitante, e não para nós”, reforça Rodrigo Rosso. Desde a primeira edição da Mobility & Show em SP, assim como a edição no RJ, até essa edição maior da “feira mãe” na capital paulista em setembro último, é nítida a satisfação tanto de quem expõe como de quem visita a mostra. “Todos aqui são tratados com igualdade e respeito”, explica Rosso. A Mobility & Show também se destaca pela sinceridade e seriedade para com o expositor e o público. “Somos a única feira que entrega ao final da mostra, a lista de todos os visitantes para os expositores, dando a todos a certeza absoluta de quantas pessoas realmente visitaram o evento e realizaram test-drives nos carros à mostra. Sem mentiras, invenções... com a ética que permeia o trabalho que realizamos já há mais de 20 anos neste segmento e que é reconhecida por todos. Isso deveria ser uma prática comum entre os organizadores de eventos, entre as publicações, entidades... e não um diferencial. O Brasil precisa aprender a conviver com a ética, começando por nós”, lembra Rosso.

Desde os estandes, sempre lotados, o auditório, o test-drive que fazia fila para que os visitantes testassem os quase 70 modelos de automóveis colocados à disposição – em sua maioria adaptados e com instrutores treinados – na praça de alimentação, onde 13 food-trucks fizeram um verdadeiro festival gastronômico junto do palco com apresentações artísticas, em todos os cantos da feira o sorriso no rosto e a satisfação foi mais uma vez a marca deste grande evento. Agora, é aguardar a edição 2018. Mais uma vez em setembro, outra vez no Campo de Marte em São Paulo/SP, e certamente, com mais novidades e ainda maior. “Esperamos todos de braços abertos e com muita alegria no ano que vem”, finaliza Rosso.

 

Tags:

Parceiros

Vinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.x

©2017 Reação Revista Nacional de Reabilitação - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por A4 Agência Digital

Search