INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA,
MOBILIDADE REDUZIDA, FAMILIARES E PROFISSIONAIS DO SETOR


 É rápido e fácil: Encontre as matérias já publicadas pela Revista Reação no ambiente digital

Clique em "Pesquisar" e filtre por editoria, palavra chave ou navegue abaixo e encontre reportagens, artigos de parceiros e notas das redes sociais.

Uma “secretária” em forma de app. Por Brenda Cruz

Vivemos em um mundo super digital e tecnológico, cujos recursos nos deixam cada vez mais dependentes.

No entanto, isso não é algo negativo se usado para facilitar nosso cotidiano, inclusive na administração do controle da saúde.

Pensando nesse aspecto, o grupo de alunos e professores do ambulatório multidisciplinar de síndrome de Down da Santa Casa, após a ideia da Dra. Carla Franchi Pinto, professora do Departamento de Ciências Patológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, desenvolveu o aplicativo Elo21, que tem como função ser uma agenda virtual para administrar os cuidados com a saúde de pessoas com síndrome de Down, seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde.

“O elo21 foi pensando para atender todas as faixas etárias, basta colocar a data de nascimento e o sexo da criança, por exemplo, e ele já gera os protocolos que aquela faixa etária tem que seguir em consultas médicas no decorrer do ano”, explica a professora. De uso fácil e intuitivo, o aplicativo tem funções que avisam quando é necessário o agendamento de uma consulta médica, além de enviar lembretes sobre consultas já agendadas.

Quem alimenta essa agenda são os responsáveis do usuário com Down, e nela ficam armazenados o histórico de exames e o resultado de tudo o que foi feito durante todo o ano. Dra. Carla explica que quando são colocadas as anotações, o médico, o professor, o terapeuta ou qualquer outro profissional pode ter acesso a esses resultados. “Os profissionais podem ver o que faz sentido saber sobre a outra especialidade, pois isso gera interdisciplinaridade, que é a união de vários estudos, e não multidisciplinaridade, que é a separação deles. Todos têm uma visão mais ampliada daquela pessoa”.

 

Soma de benefícios

O ganho desse aplicativo é para toda a família, pois avida fica mais fácil à medida em que tudo está organizado em um só local. É o que conta Thalita Schmalz Yamasaki, 33 anos, mãe de Mariana, de um ano e cinco meses, que conheceu o aplicativo através de um grupo de mães de filhos com Down no Whatsapp.

“O aplicativo é super fácil! Facilita muito na organização das consultas, principalmente as que são a cada três meses”.

Além do controle da agenda, o Elo21 também disponibiliza semanalmente dicas úteis para as famílias. “Aceitamos essas dicas de outros serviços, contanto que o profissional mande o nome dele e a fonte, pois temos que postar coisas confiáveis. Em geral são dicas de nutrição, dentistas. Sexualidade, entre outras”, conta a professora. Thalita diz que lê todas as dicas e aprende muitas coisas por meio delas.

Outro benefício apontado pela Dra. Carla é com a coleta de dados dos usuários: é possível verificar se há falhas no atendimento em cada região. “Eu consigo saber se em uma determinada região não estão sendo feitos, por exemplo, os exames tireoidianose, caso não, é possível verificar o que está acontecendo, se está faltando treinamento para a equipe médica ou kit para fazer o exame. Dessa forma, podemos alertar para o serviço médico daquela região”. O aplicativo está disponível na Play Store e na iPhone Store.

 

*Reportagem de Brenda Cruz publicada na Revista D+, número 15. 


Parceiros

Vinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.x

©2017 Reação Revista Nacional de Reabilitação - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por A4 Agência Digital

Search